Quando pensamos em investir o que logo vem à nossa mente? Sim! A resposta é Poupança.

 Em um estudo recente, calcula-se que 88% dos brasileiros guardam dinheiro na poupança.  O Raio X do Investidor Brasileiro, pesquisa realizada pela Anbima em parceria com o Datafolha na sua quarta edição, revelou que 40% dos brasileiros têm algum tipo de investimento e que 29% desses investidores colocam dinheiro na poupança.

 A poupança continua sendo o investimento preferido da população. Contudo, o número de investimentos na caderneta vem perdendo espaço pela primeira vez em quatro anos. A poupança perdeu R$ 35,5 bilhões em 2021, a maior retirada de recursos desde 2016, segundo dados do Banco Central do Brasil.

Mas não se deixe iludir. A poupança não é uma alternativa rentável quando comparada a outros investimentos. Quem investiu na poupança nos últimos anos perdeu dinheiro. Isso porque a inflação do período foi maior do que o rendimento da poupança.

Aplicar na caderneta de poupança é basicamente emprestar dinheiro ao banco. O banco, por sua vez, paga ao cliente um juro fixo, que é tabelado pelo governo. Atualmente, a rentabilidade da poupança está atrelada à taxa de juros oficial do país, a Selic.

Se a Taxa Selic estiver acima de 8,5% ao ano (atualmente a taxa está em 10,75%aa), a taxa da poupança será 0,5% ao mês mais variação da TR (Taxa Referencial).

Alguns fatores têm levado os brasileiros a buscarem outras opções de investimentos:

  • Maior conhecimento de outros produtos financeiros

Cresceu o conhecimento do brasileiro em relação aos principais produtos financeiros disponíveis no mercado. A internet tem potencializado a propagação de informação, tanto pelos influenciadores digitais como por conteúdos disponibilizados por bancos e corretoras em seus sites. Além das conversas presenciais com o gerente ou o assessor de investimentos.

  • Outras opções de canais para investir

Os meios digitais ganharam espaço na hora de fazer investimento. Ainda de acordo com a pesquisa Raio X do Investidor Brasileiro, em 2020, pela primeira vez, o aplicativo do banco foi a solução mais utilizada, ultrapassando a ida presencial à instituição. O uso do aplicativo mais do que dobrou em 2020, passando de 30% para 62% da preferência como meio para uma aplicação financeira. A visita presencial à agência caiu de 71% em 2019 para 55% um ano depois. Todas as outras formas de investimento a distância também apresentaram crescimento significativo, como site do banco ou corretora e por telefone.

Quais são esses investimentos?

A seguir, vou apresentar 3 investimentos melhores que a Poupança. Na prática, você vai perceber que essas formas de investir podem valorizar mais seu dinheiro no longo prazo, potencializando seus resultados. Confira:

CDB

Certificado de Depósito Bancário (CDB) é um investimento de renda fixa no qual você aplica seu dinheiro em uma instituição financeira e em troca recebe o valor que investiu acrescido da rentabilidade prevista no CDB. Têm opções prefixadas, na qual sua rentabilidade é determinada por uma taxa de juros, ou pós-fixada, na qual o seu rendimento é atrelado a um indicador, como o CDI.

O CDB possui rentabilidade maior que a poupança. Tem a cobertura do Fundo Garantidor de Crédito (FGC) para valores até o limite de R$ 250 mil por CPF ou CNPJ e possui liquidez diária, ou seja, pode ser resgatado a qualquer momento.

Existem corretoras ofertando CDB com taxa de até 220% do CDI. Uma excelente remuneração, mas que demanda cuidado. O importante é conhecer a reputação da instituição e as características do produto ofertado.

TESOURO SELIC

Em 2002, o Tesouro Nacional criou um programa em parceria com a Bolsa de Valores do Brasil (B3), chamado Tesouro Direto. Esse programa visou democratizar o acesso aos títulos públicos para pessoas físicas. Além de permitir aplicações a partir de R$30, esses títulos oferecem uma boa rentabilidade e podem apresentar liquidez diária.

O Tesouro Selic é o mais conhecido dos títulos do Tesouro. O investidor não saberá exatamente quanto seu título irá render, pois o resultado depende da Taxa Selic. Hoje a taxa Selic está em 10,75%aa.

Esse título é considerado o mais seguro do mercado, já que possui a responsabilidade do pagamento pelo próprio governo federal, o que faz dele o ativo com menos risco de crédito da economia.

LCI

As Letras de Crédito Imobiliário (LCI) são títulos de renda fixa emitidos por instituições financeiras com o objetivo de captar recursos destinados a empréstimos para o setor imobiliário. Em troca, você receberá, em uma data predefinida, seu dinheiro corrigido por juros.

Os principais atrativos desse ativo são a Isenção de IR para pessoa física no rendimento e no ganho de capital. A aplicação garantida pelo Fundo Garantidor de Créditos (FGC) para valores até o limite de R$ 250 mil por CPF ou CNPJ.

Os três investimentos listados aqui são seguros, possuem liquidez e tem rentabilidade acima da poupança. Podem ser encontrados em bancos tradicionais, bancos digitais e em corretoras de valores.

E então, pronto para começar?

Até Breve!